Publicidade

Aparelhos Eletrônicos

 

Teste comparativo entre iPad 2 x Xoom x Galaxy Tab

Quem tem o melhor teclado? Qual é mais fácil de segurar? Quem tem a tela mais adequada? Confira o comparativo feito pela PC World dos EUA

O  iPad 2 finalmente chegou, e a grande questão agora é: como será o desempenho do dispositivo em relação à concorrência? Para responder a essa questão, testamos três dos principais modelos de tablets do mercado: o Xoom (Motorola), o Samsung Galaxy Tab e o iPad 2 (Apple). Veja como eles se saíram:

Qual é mais fácil de segurar?
Luz verde para o Galaxy Tab. Sim, apesar de ser um pouco mais grosso (1,27cm  de espessura), pesa somente 360 gramas, significativamente mas leve que o iPad 2 (590 gramas).

Dito isso, o tablet da Apple, com display de 9,7 polegadas, é a melhor escolha se o desejo do usuário é um dispositivo com uma tela grande. É muito mais fácil de ser segurado do que seu antecessor, graças às suas laterais cônicas, ao design fino e por pesar bem menos (o iPad original tem 680 gramas). Comparado aos dois, o Xoom com 1,27cm de espessura e seus 720 gramas é o "gordão" da turma... 

 

batalhatablets01.jpg

Mais fino e com um design diferente de seu antecessor, o iPad ficou melhor para segurar, mas não superou o Tab


Peso e espessura são mais importantes do que se imagina – e não só porque a maioria das pessoas gosta de segurar um livro ou revista com uma mão para lê-lo. É importante entender que, ao utilizar aparelho, enquanto uma mão segura o equipamento, a outra é responsável pela navegação.

Qual deles tem a melhor tela?
Nesse quesito, o iPad 2 leva o primeiro lugar. Imagens no display do aparelho ficaram uniformemente e precisamente saturadas e balanceadas. Talvez o texto pudesse ser um pouquinho mais nítido, da maneira que aparece no iPhone 4, porém ainda assim o iPad 2 bate seus concorrentes nessa categoria.

Os rivais possuem deficiências diferentes. A nitidez do display de 1024x600 do Galaxy Tab é boa, mas a tendência do display é de produzir cores supersaturadas. Já o Xoom, com uma tela de resolução um pouco maior (1024x800), possui uma renderização de textos inconsistente, com algumas fontes sendo exibidas serrilhadas, principalmente no navegador web e no aplicativo do Google Books.  O que é pior é a exibicão de  cores lavadas no Xoom, em contraste com as supersaturadas comuns do aparelho da Samsung.

Como o tablet da Motorola é o único até agora a rodar Android 3.0, não é possível precisar se essas falhas são ocasionadas por problemas do sistema operacional  na hora de renderizar imagens ou são mesmo oriundas de problemas no display do aparelho.

batalhatablets02.jpg

Xoom (ao fundo) e Galaxy Tab (à frente): enquanto a imagem do primeiro ficou lavada, a do segundo ficou saturada demais


Qual tablet tem o melhor teclado?
 Em uma disputa acirrada entre o iPad 2 e o Xoom, o lugar mais alto do pódio fica com o dispositivo que usa o iOS. O teclado virtual da Apple ainda não é o ideal, mas fez um trabalho melhor ao acompanhar uma digitação mais rápida, enquanto o Xoom engasgou um pouco quando os dados eram inseridos com um pouco mais de velocidade.

Apesar dos botões mais largos do Xoom e a inserção da tecla tab, a lentidão atrapalhou e muito. Nem vale a pena comparar com o teclado do Galaxy Tab: da mesma maneira que o teclado Android de um smartphone gigante, ele é pequeno e estreito em comparação aos tablets maiores, e também manda mal na hora de administrar uma digitação mais veloz.

Na hora de transferir dados, quem ganha?
O Galaxy Tab (agora) e o Xoom (em breve) vencem. Por serem tablets baseados em Android, o computador reconhece os aparelhos como dispositivos de armazenamento  quando são conectados via USB. Como resultado, o usuário pode arrastar e soltar arquivos para o equipamento sem a necessidade de converter os documentos para um formato diferente, e sem utilizar um software em especial.

É verdade que o tablet irá demorar um pouco para reconhecer as novas imagens na biblioteca, porém esse sistema é muito mais agradável do que o universo fechado da Apple, que requer que o usuário passe pelo iTunes, a ferramenta de gerenciamento mais insatisfatória, incapaz e inflexível do mercado.

Tanto o dispositivo da Samsung quanto o da Motorola possuem slots para leitura de cartão, apesar de ser preciso habilitar esse recurso a partir de um upgrade no software do Xoom. Esse potencial expansivo falta nas duas versões do iPad, e só é acessível a partir de um acessório comercializado à parte.

Qual proporciona  as melhores notificações
Entre os modelos, as notificações foram melhores no Android 3.0. A interface do Honeycomb coloca a barra de notificações no canto inferior direito da tela, no qual ele informa, sem ser intrusivo, sobre novas mensagens, novos updates para o sistema operacional e downloads que tenham sido completados. Novas mensagens aparecem em pop-up e desaparecem; ao tocar na barra, é possível ver, além dessas mensagens, notificações sobre status da conexão, bateria, e muito mais, caso o usuário expanda a barra.

batalhatablets03.jpg

Com um design elegante, as notificações do Honeycomb são menos intrusivas e mais modernas


No dispositivo da Apple, o sistema parece arcaico nesse item, comparado ao Android: as notificações via janela pop-up interrompem as outras atividades do usuário, e caso ele não toque no dispositivo e receba muitas notificações de uma vez, o iOS coleta todas em uma única janela, para ser exibida mais tarde.

Mas ele não exibe nenhuma notificação para novos e-mails recebidos: é preciso acessar o aplicativo de e-mail para ter acesso aos dados. O Galaxy Tab, que roda Android 2.2, entrega as notificações do modo clássico do sistema operacional do Google: uma barra no topo da tela que pode ser puxada para baixo. No entanto, não é nem de perto tão elegante ou prático quanto o estilo encontrado no Honeycomb.

Qual é o melhor tablet  para conteúdos multimídia?
Essa resposta depende, em partes, dos hábitos de compra do usuário e como o tablet é utilizado. O Android 3.0 no Xoom é uma combinação multimídia extraordinária: filmes em HD ficam ótimos em proporção widescreen, há suporte para o Flash para vídeos online e o player de música da Google foi redesenhado e está bem atraente. Entretanto, o Honeycomb carece de um vídeo player dedicado, logo os filmes ficam misturados com as imagens na Galeria.

O dispositivo da Apple requer a sincronização com o iTunes, um ponto negativo, considerando a burocracia do player. Porém é muito bom para organizar e gerenciar os arquivos multimídia, e caso os arquivos estejam em um formato suportado, o usuário pode adicionar seus próprios vídeos para a biblioteca do iTunes. Até o momento, a Google carece de alguma coisa comparável, apesar dos rumores de que o Google passe a vender música através de sua loja.

O Galaxy Tab utiliza o Media Hub da fabricante para fazer compras de vídeos e músicas, assim como reproduzi-los. Porém, as compras feitas são utilizáveis somente em dispositivos compatíveis com o Samsung Media Hub, incluindo celulares e televisões da companhia. A seleção de produtos do Media Hub está crescendo, mas não chega nem perto da profundidade do iTunes.

Qual tablet é o mais organizado?
Nenhum dos aparelhos atualmente facilita na hora de gerenciar seus arquivos. Mas o Xoom é, até agora, o candidato que faz o trabalho mais bem feito. O usuário não tem acesso direto aos arquivos e pastas no aparelho, como acontece no Windows por exemplo. Contudo uma grande variedade de aplicativos terceirizados permite acesso aos arquivos que estejam dentro do tablet no modo de visualização de pastas padrão, e esse conteúdo pode ser baixado a partir do navegador em formato .zip.

E na galeria de imagens da Google, é possível visualizar informações das fotografias, cortá-las e compartilhar esses documentos via Bluetooth. Enquanto isso, organizar apps na tela inicial é simples, graças ao estilo de tela dividido, que permite selecionar um aplicativo e arrastá-lo para a home de sua preferência – tudo isso dentro do dispositivo.

batalhatablets04.jpg

Android 3.0: apesar de ser mais aberto e organizado do que o iOS, o sistema operacional da Google ainda traz algumas restrições

Organizar apps no iPad é trabalhoso, e esqueça a respeito de acessar arquivos armazenados no dispositivo para reorganizar, renomear ou fazer qualquer coisa com eles – a Apple deixou tudo muito bem trancado. O Galaxy Tab não goza das mesmas facilidades do Android 3.0, mas oferece várias opções para compartilhar os arquivos, além de também exibir informações das imagens, assim como cortá-las. Um app “mão na roda” é o My Files, que permite exibir os conteúdos do dispositivo em diretórios, apesar de não permitir que as arquivos sejam renomeados ou movidos.
 
Quem se dá melhor na navegação web?
Há uma clara vantagem para o Xoom nessa tarefa. A interface com abas deixa a navegação muito mais fácil ao abrir várias páginas ao mesmo tempo – além, claro, do suporte ao Adobe Flash 10.2. O iPad 2 e o Galaxy estão ambos travados na pré-história da navegação web. Ambos só permitem ao usuário acessar uma página por vez, tornando necessário sair de uma página para entrar na próxima. Em adição a isso, ambos os modelos limitam o número de páginas que podem ser abertas.

Qual a melhor opção para games?
Vitória indiscutível do iPad aqui. Hoje, o iOS possui uma seleção muito maior de conteúdo (e também de comprometimento dos desenvolvedores) do que o Android, apesar do fato de que os jogos para Android 3.0 devem ser disponibilizados ao decorrer deste não. Milhões de pessoas já utilizam o iPad, e benchmarks terceirizados indicam que o chip A5 possui maior poder gráfico do que o Nvidia Tegra 2, encontrado no Xoom e em todos os tablets nos quais o Honeycomb foi anunciado. Enquanto ao Galaxy Tab, vamos apenas dizer que o futuro dos games não vai acontecer no Android 2.2 em um tablet de 7 polegadas.

Qual o melhor tablet para leitura?
Todas as grandes livrarias possuem aplicativos disponíveis nos mais diversos sistemas operacionais móveis, a não ser pelo iBooks da Apple, que (como era esperado) só está disponível para iOS. Os três tablets oferecem flexibilidade de escolha de plataforma de leitura e para compras. No entanto, nenhum desses aparelhos é especialmente bom para leitura.

Entre os três, o Galaxy Tab fica no topo por ser o menor e ser mais nítido na qualidade dos textos. O iPad 2 chega em segundo: a tela grande é uma ótima escolha para exibir revistas digitais e seus aplicativos, e é bom para visualizar textos para impressão. O Xoom passa longe da fila de candidatos: a renderização das fontes pode ser um problema, já que alguns textos ficam menos nítidos que outros. Hoje, o melhor app disponível para leitura no tablet da Motorola é o Google Book, porém as opções de display são limitadas, com somente três tamanhos de fonte, por exemplo.

Fonte: http://macworldbrasil.uol.com.br

 

Teste comparativo iPad 2 x Xoom x Galaxy Tab