Publicidade

Consul


Consul

  CONSUL - Brasil. Eletrodomésticos. 1950.

Rudolfo Stutzer, um dos fundadores da empresa, precisava de dinheiro para começar seu próprio negócio. Sua intenção era abrir uma oficina na qual ele pudesse fabricar produtos de uso doméstico, uma vez que o mercado brasileiro sofria com a escassez de manufaturas por causa da Segunda Guerra Mundial. Stutzer resolveu então pedir ajuda a um amigo próximo, o senhor Carlos Renaux, rico empresário do ramo da tecelagem. Renaux era conhecido por ter recebido o título de cônsul honorário do Brasil em Arnheim, na Holanda. Depois de ser agraciado com essa honraria, ele passou a ser chamado apenas pelo apelido "cônsul".

 

Quando Stutzer abriu seu pequeno negócio com o dinheiro emprestado por Renaux, pôs a marca Consul em todos os produtos que fabricava. Foi a forma que ele escolheu para homenagear a pessoa que o apoiou. No entanto, a grande fabricante de eletrodomésticos que conhecemos hoje ainda não existia. Ela começou a ser concebida quando Rudolfo Stutzer recebeu em sua oficina uma geladeira quebrada. Naquela época esse tipo de conserto era difícil, pois os refrigeradores eram importados. Porém, depois de desmontar e esmiuçar as peças do aparelho, Stutzer e outros dois amigos (Guilherme Holderegger e Wittich Freitag) perceberam que eram capazes de fazer um igual. Começava então a história da Consul, uma simples oficina que veio a tornar-se a primeira empresa do Brasil a fabricar uma geladeira.

 

Curiosidades: 1 -A marca Consul não possui acento, ao contrário da grafia do substantivo cônsul. A explicação é simples: depois da construção da primeira geladeira, os fundadores da empresa concentraram-se em identificá-la. Pegaram então o nome cônsul e tentaram esculpi-lo em madeira, para que posteriormente fosse colado na porta do refrigerador. Eles usaram uma serra tico-tico no trabalho, que se mostrou perfeito, exceto pela dificuldade de se esculpir o acento circunflexo da palavra. Diante do problema, ficou decidido que a marca não teria acento, o que persiste até hoje. 2 - A empresa foi responsável por uma das campanhas mais memoráveis da história da propaganda brasileira. O slogan "Põe na Consul" virou mania: quando alguém não queria falar sobre determinado assunto dizia apenas "põe na Consul".

Mais versão:
Consul nasceu em 1950, na cidade de Joinville, em Santa Catarina. De um pequeno galpão de 680 m2, saíram os primeiros refrigeradores da empresa. Em 1959, a Consul fez a primeira venda para o exterior, com destino ao Paraguai.

A entrada na década de 60 deu-se com uma produção de 30 mil refrigeradores por ano. Nos anos dourados, a empresa aprimorou o sistema de isolamento térmico e lançou o modelo Consul Júnior, precursor do frigobar.

Outra novidade foi o lançamento da linha "Capacidade Total", refrigeradores com paredes comprimidas e mais espaço interno. Em 1969, para atender uma exigência do mercado, foi lançado o Supercongelador, o seu primeiro freezer doméstico.

Em 1971, a Consul lançou o primeiro Condicionador de ar totalmente produzido no País.

Atenta aos padrões estéticos da época, introduziu cores vibrantes – vermelho, azul, verde e amarelo – na sua linha de refrigeradores.

Aos poucos a Consul foi ampliando o seu catálogo de produtos, incluindo secadora de roupas, em 1980; fogões, fornos de microondas e lavadoras, na década de 90.

Atualmente, a linha Consul possui além de refrigeradores, freezers horizontais e verticais, condicionadores de ar, fogões, forno de microondas, lavadoras, lava-louças, depuradores de ar, centrífuga de roupa, climatizadores, ventiladores de teto e tanquinhos.

Fontes: dicionariodasmarcas.blog.br e multibras.com.br

 

 

 

Historia do fabricante de eletrodomestico Consul