Publicidade

Roteiro para Testes Elétricos do Sistema de Refrigeração

Fonte: Roteiro organizado pelo professor: Fábio Barbosa Ferraz
Laboratório de Refrigeração do IFBA – Campus de Santo Amaro

 

OBJETIVO:

Este roteiro tem por objetivo, fornecer especificações e procedimentos para o teste de componentes eletro-eletrônicos. Como se sabe, muitas vezes a suspeita de uma falha recai sobre mais de um componente e para o teste dos mesmos, é necessário dispor de vários parâmetros. 

EXPERIMENTO 1: Teste do Relé

MATERIAL:

  • Relé Eletromecânico EM – EMBRACO, COMPELA, COMPONEL;
  • Relé Eletromecânico F, EG e PW – EMBRACO;
  • Relé PTC – EMBRACO;
  • Relé PTC – KLIXON;
  • Multímetro. 

PROCEDIMENTO:

Retire o relé do compressor e faça os testes a seguir:

  • Relé Eletromecânico EM – EMBRACO, SICOM, COMPONEL, COMPELA, etc.
  • Com o auxílio de um multímetro na escala mais alta de resistência certifique-se da existência de continuidade entre os terminais da bobina do relé.
  • Com o relé na posição vertical, bobina para baixo (figura ao lado), certifique-se da não existência de continuidade entre os terminais de marcha e auxiliar. Com a bobina para cima, deverá existir continuidade entre os terminais marcha e auxiliar.

Resultado:_________________________________________

 

  • Relé Eletromecânico F, EG e PW – EMBRACO
  • Com auxílio do multímetro na escala mais alta de resistência, em qualquer posição deve existir continuidade entre os terminais 10 e 12 (bobina do relé);
  • Com o relé na posição vertical, bobina para baixo (figura ao lado), deve existir continuidade entre os terminais 12 e 13 (marcha e auxiliar);
  • Se inverter a posição do relé (bobina para cima), não deverá existir continuidade entre os terminais 12 e 13.

Resultado:__________________________________________

  • Relé PTC – EMBRACO
  • Com o PTC estabilizado à temperatura de 25ºC, desconectado do compressor, a resistência ôhmica medida entre os terminais 2 e 3 do PTC (figura abaixo) deve estar dentro das faixas mencionadas abaixo:
    • Relé PTC 8EA 1B1 ou 1B3 ou 1B4 – 3 até 5 Ω;
    • Relé PTC 8EA 4B1 ou 4B3 ou 4B4 – 4 até 6 Ω;
    • Relé PTC 8EA 5B1 ou 5B3 ou 5B4 – 15 até 25 Ω.

Resultado:__________________________________________

 

  • Relé PTC – KLIXON
  • Com o PTC estabilizado à temperatura de 25ºC, a resistência ôhmica medida entre os terminais 2 e 3 do PTC deve estar dentro das faixas  da tabela abaixo:

Resultado:__________________________________________

 

EXPERIMENTO 2: Teste do Compressor

MATERIAL:

  • Compressor Hermético Tecumseh;
  • Multímetro.

 PROCEDIMENTO:

  • Para o teste de isolamento elétrico do compressor (teste de massa) siga os passos a seguir:
  • Remova a tampa de proteção dos terminais do compressor;
  • Identifique e desconecte os cabos P (principal), A (auxiliar) e C (comum);
  • Com o multímetro na escala de resistência (mais alta), faça o teste de massa (passagem de corrente da bobina para a carcaça do compressor), verificando se existe continuidade entre os três bornes (comum, principal e auxiliar) e a carcaça do compressor, em um ponto onde não haja tinta. Não poderá haver continuidade, caso contrário, o compressor está defeituoso.

Resultado:

Resistência entre a caracaça e P:_________.

Resistência entre a caracaça e A:__________.

Resistência entre a caracaça e C:__________.

 

  • Para o teste do enrolamento (bobina) do motor do compressor siga os passos a seguir:

 

  • Com auxílio de um multímetro, verifique se há continuidade e se a resistência ôhmica é diferente de zero entre os terminais da bobina comum e principal (CP), comum e auxiliar (CA) e entre a bobina principal e auxiliar (PA). A resistência ôhmica do enrolamento auxiliar deverá ser maior do que a do principal, e a resistência entre os bornes A e P deverá ser o somatório das duas. Caso isso não ocorra, o compressor estará com defeito.

 

 

Resultado:

Resistência de CP:__________.

Resistência de CA:__________.

Resistência de PA:__________.

 

 

EXPERIMENTO 3: Teste do Protetor Térmico

MATERIAL:

  • Protetor térmico 3/4”;
  • Protetor térmico 4TM;
  • Multímetro.

PROCEDIMENTO:

  • Para o teste do protetor térmico 3/4” siga os passos a seguir:
  • Verifique se há oxidação nos terminais e se o disco bimetálico do protetor térmico não está torto.
  • Verifique também se há continuidade entre os terminais 1 em 3 (figura ao lado). Em caso de avaria ou de não continuidade, substitua o protetor e o relé de partida.

Resultado:__________________________________________

 

  • Para o teste do protetor térmico 4TM siga os passos a seguir:
  • Verifique se há oxidação dos terminais (fêmea e macho) e se há continuidade entre os mesmos, ver figura ao lado. Em caso de avaria ou de não continuidade, substitua o protetor.

Resultado:__________________________________________

 

 

EXPERIMENTO 4: Teste do Termostato

MATERIAL:

  • Termostato com bulbo sensor de temperatura;
  • Multímetro.

PROCEDIMENTO:

Para realização dos testes no termostato, primeiramente, desligue-o do circuito e siga os passos a seguir:

  • Gire o botão para a posição desligado (sentido anti-horário). Toque os bornes (comum e refrigeração) com as pontas de prova do multímetro, que não deve indicar continuidade (apenas indicará continuidade no momento em que o botão do termostato atingir a posição ligar).

OBS: Se o termostato tiver três bornes (ciclo de aquecimento), apenas na posição desligado deverá indicar continuidade entre os terminais: comum e aquecimento.

 

Resultado:__________________________________________

 

 

EXPERIMENTO 5: Teste do Capacitor

MATERIAL:

  • Capacitor eletrolítico;
  • Resistor de 150 kΩ (2 Watts);
  • Multímetro (capacímetro ou ohmímetro) 

PROCEDIMENTO:

Verifique inicialmente se o capacitor que será examinado é correto para o aparelho. Em seguida, verifique o capacitor quanto a deformações, vazamento de líquido, circuito interno aberto e curto-circuito. Para detectar os dois últimos defeitos citados anteriormente, utilize um multímetro ou um capacímetro, com o seguinte procedimento:

a) Descarregue o capacitor antes de desconectá-lo, provocando um curto-circuito nos terminais. Para isso, utilize um resistor de 150 kΩ (2 Watts).

b) Execute um dos procedimentos de diagnose a seguir.

  • Utilizando um capacímetro (Recomendado)
  • Verifique a capacitância entre os bornes;
  • As capacitâncias devem estar no intervalo especificado na lateral do capacitor. Se as leituras estiverem fora do recomendado, substitua o capacitor.

Resultado:__________________________________________

 

  • Utilizando o ohmímetro

a) Posicione o seletor do multímetro na escala R x 20k;

b) Encoste as pontas de prova do multímetro nos terminais do capacitor e verifique o seguinte:

  • Se a leitura do multímetro cair para o mínimo e depois aumentar lentamente para o máximo, o capacitor está bom;
  • Se a leitura do multímetro cair no mínimo e lá permanecer, troque o capacitor, pois o mesmo está em curto;
  • Se nenhuma alteração ocorrer na leitura, em nenhum sentido, troque o capacitor, pois o mesmo está “aberto”.

Resultado:__________________________________________ 

 

 

EXPERIMENTO 6: Teste da Chave Seletora

 

MATERIAL:

  • Chave Seletora;
  • Multímetro. 

PROCEDIMENTO: 

  • Teste da Chave Seletora na posição Desligado
  • Coloque o botão da chave na posição “Desligado”.
  • Desconecte todos os terminais, deixando livres os bornes da chave.
  • Use o multímetro na escala mais alta de resistência.
  • Encoste uma das pontas de prova do multímetro no borne de alimentação da chave.
  • Com a outra ponta de prova, toque os demais bornes, um por um: não deve haver continuidade para todos, caso contrário, troque a chave.
  • Se a chave for aprovada, passe para o próximo teste abaixo:
  • Teste da chave seletora em todas as posições
  • Gire o botão para a primeira posição “Ventilação”.
  • Mantenha uma ponta de prova no borne de “alimentação”.
  • Toque com a outra ponta de prova o borne que corresponde à posição “Ventilação”: o multímetro deverá indicar existência de continuidade.
  • Gire o botão para as demais posições e toque a 2ª ponta de prova sempre no respectivo borne. Teste todas as posições, até chegar novamente na posição “Desligado”.

OBS: Se o multímetro apresentar continuidade para todas as posições do botão, a chave está boa. Do contrário, troque a chave.

Quando a função da seletora for para refrigeração ou aquecimento, observa-se que terá que existir continuidade entre os terminais de alimentação e ventilação (ventilador), assim como alimentação e refrigeração ou aquecimento (compressor), ou seja, será observado duas continuidades.

Recomendamos que ao fazer este teste, você acompanhe as conexões internas da chave, conforme consta do esquema elétrico.

A identificação dos bornes encontra-se na base dos mesmos, sobre a carcaça plástica da chave.

 

Resultado:__________________________________________

 

 

EXPERIMENTO 7: Teste da Válvula Solenóide

MATERIAL:

  • Válvula Solenóide;
  • Chave de fenda; 

PROCEDIMENTO:

 

A válvula solenóide funciona acionada por uma bobina magnética, que movimenta um pino permitindo que o refrigerante flua através do sistema. Quando o termostato desliga, interrompe o circuito elétrico para a válvula, desenergizando a bobina magnética que, libertando o pino, interrompe o fluxo de refrigerante. Para realizar os testes na solenóide siga os seguintes passos:

  • Retire a válvula solenóide do sistema. Desconecte os terminais da bobina e aplique a tensão correspondente a tensão de trabalho (110 ou 220 V).

    Montagem da bobina da solenóide

Com auxílio de uma chave de fenda, observe a reação da solenóide que irá reter a chave de fenda como se fosse um imã. Dessa forma, nota-se que a solenóide está funcionando perfeitamente.

Resultado:__________________________________________

 

Roteiro para testes eletricos do sistema de refrigeracao